sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Mulher atacada com seringa pode ter tido substância injetada no corpo

Vítima de homem com seringa tem 40 anos (Foto: Reprodução/Youtube A Tribuna)vítima de homem com seringa tem 40 anos
(Foto: Reprodução/Youtube A Tribuna)







A mulher que afirma ter sido atacada com uma seringa por um desconhecido em um ponto de ônibus de Santos, no litoral de São Paulo, deve passar nesta sexta-feira (9) por exames no Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Um retrato falado do suspeito já foi divulgado por investigadores do 2º DP de Santos.
Segundo a Polícia Civil, somente um diagnóstico mais preciso poderá identificar se a perfuração se trata da picada de uma agulha ou não. Caso a suspeita seja confirmada, também será possível saber qual teria sido a substância injetada na vítima, que apresenta dores de cabeça intensas desde a agressão.
O ataque aconteceu no início da semana enquanto a mulher de 40 anos esperava um ônibus circular em frente à Santa Casa de Santos, no bairro Jabaquara. Ela tinha levado a neta no médico e aguardava para retornar para casa, em São Vicente.
Polícia procura suspeito de atacar mulher com seringa em Santos (Foto: Divulgação / Polícia Civil)Polícia procura suspeito de atacar mulher com
seringa em Santos (Foto: Divulgação / Polícia Civil)
A vítima contou à polícia que, ao embarcar no ônibus, um suspeito apareceu e ela sentiu uma picada na altura das nádegas. A mulher olhou para trás, viu o homem se afastando, mas não notou nada nas mãos dele.
De acordo com a polícia, a mulher percebeu os ferimentos apenas ao chegar em casa, quando começou a sentir muitas dores no local do furo. Ela notou que o homem desembarcou na Vila Margarida, em São Vicente, e fez uma descrição física do suspeito para a polícia.
A vítima foi orientada por familiares a procurar um hospital onde mora, em São Vicente, onde foi medicada contra doenças sexualmente transmissíveis - já que não se sabe o que havia na seringa.
Na delegacia, os investigadores mostraram fotos de um "maníaco da seringa" que estava agindo em São Paulo, mas não houve reconhecimento por parte da vítima - por isso, a polícia acredita que este seja o primeiro caso a acontecer na Baixada Santista. Os policiais pedem ajuda da população para encontrar o suspeito. Quem tiver informações pode entrar em contato com o 2º DP de Santos no telefone (13) 3234-6901.
fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário