sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

EUA recomendam que grávidas considerem não vir aos Jogos do Rio

Pesquisa propõe dupla infecção do mosquito Aedes aegypti para evitar transmissão de dengue, chikungunya e zika  (Foto: Cameron P. Simmons/Divulgação)O mosquito Aedes aegypti, que transmite o vírus da zika (Foto: Cameron P. Simmons/Divulgação)
O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos recomendou nesta sexta-feira (26) que grávidas considerem não viajar aos Jogos Olímpicos (agosto) e Paralímpicos (setembro) no Rio de Janeiro por conta da epidemia do vírus da zika no Brasil.

"Por causa da epidemia do zika, o CDC recomenda às mulheres grávidas que considerem não viajar às Olimpíadas", diz a nota do órgão.
No comunicado, o órgão recomenda que as mulheres que têm que ir aos Jogos Olímpicos conversem com seus médicos antes. "Se você viajar, deve seguir estritamente as medidas para prevenir a picadas do mosquito” Aedes aegypti.

O CDC ainda alerta àquelas que têm parceiro que vão aos Jogos que podem estar sob o risco de transmissão sexual da zika. "Ou use camisinha da maneira certa, toda vez, ou não faça sexo durante a gravidez", diz.

Em janeiro, o CDC já havia recomendado que grávidas adiem viagens para 14 locais afetados pelo zika vírus, inclusive o Brasil.
Nove grávidas infectadas nos EUA
Mais cedo, o CDC divulgou um balanço sobre os nove casos nos EUA de mulheres grávidas infectadas com o vírus da zika numa viagem a um país afetado pela epidemia. Segundo o balanço, entre estas nove mulheres, duas tiveram abortos espontâneos, duas abortaram e três já deram à luz. Das crianças nascidas, uma sofre com um tipo grave de microcefalia.
Autoridades no Havaí, onde a criança nasceu, informaram sobre este caso em janeiro, dizendo em seguida que o laboratório dos CDC confirmou que a infecção foi transmitida de mãe para filho. A mulher vivia no Brasil em maio de 2015, no início de sua gravidez.

Outras dez estão passando por avaliações no país.
As nove mulheres tinham viajado para regiões geográficas onde o mosquito Aedes aegypti, que transmite a zika, está ativo: arquipélago de Samoa, Brasil, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, México e Porto Rico.
Relação com microcefalia
Suspeita-se que este vírus pode ter causado milhares de casos de microcefalia no Brasil nos últimos meses, embora a ligação entre a zika e a malformação genética ainda não tenha sido comprovada cientificamente.

Desde o início do ano foram notificados 6.579 casos de Zika no Rio de Janeiro, de acordo com dados levantados até 18 de fevereiro da Secretaria Municipal de Saúde, que também registrou aumento expressivo nos casos de dengue, também transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.
Autoridades municipais e os organizadores dos Jogos têm dito a quem pretende visitar o Rio na Olimpíada para não ter medo, uma vez que o mês de agosto, no inverno, é uma época em que o clima estará mais seco e mais frio, proporcionando condições menos hospitaleiras para o mosquito que transmite o vírus.
fonte:G1





  • Documentos mostram como era feito desvio de verba ...
  • Filho de Eduardo Campos toma posse como chefe de Gabinete...
  • Dilma pede a evangélicos apoio no combate ao Aedes...
  • Shoppings em Moscou são esvaziados após ameaça de bombas ...
  • Ministro da Justiça assina petição pela liberação ...
  • Cubanos ‘fogem’ do país e vão para os EUA
  • Novo ‘HD’ guarda arquivos para sempre
  • O ‘maldito’ que se tornou líder cristão no Sri Lanka...
  • Cristãos se reúnem em igrejas subterrâneas nas Maldivas...
  • Turista argentina é esfaqueada e morta em Copacabana...
  • EUA dizem ter destruído centenas de milhões de dólares...
  • Vacina contra vírus da zika se mostra promissora ..
  • Mulher flagra criatura misteriosa em praia ...
  • Só um livro brasileiro entra no top 100 de universidade..
  • 48% dos médicos foi reprovada pelo Cremesp em 2015...
  • Nenhum comentário:

    Postar um comentário