quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

48% dos médicos foi reprovada pelo Cremesp em 2015

Quase metade dos recém-formados em escolas médicas do Estado de São Paulo foi reprovada na 11ª edição do "Exame do Cremesp", segundo dados divulgados pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo nesta quarta-feira (17).
Das 30 escolas médicas paulistas com recém-formados que realizaram a prova, 15 não conseguiram atingir 60% de aproveitamento (ponto de corte). Entre as 15 escolas com melhor aproveitamento, nove são públicas e seis, privadas. Entre as 15 com pior desempenho, 14 são privadas e uma é pública.
De um total de 2.726 recém formados, 1.312 - não alcançaram a nota mínima, ou seja, acertaram menos de 60% das 120 questões da prova. A reprovação foi maior entre os alunos de escolas particulares: 58,8% contra 26,4% nas escolas públicas.

"Apesar dos resultados preocupantes, o desempenho dos novos médicos no Exame do Cremesp 2015 foi ligeiramente melhor que nos últimos três anos, com a taxa de reprovação ficando pouco abaixo da metade, 48,1%. No ano passado, os reprovados foram 55%; em 2013, 59,2%; e em 2012, foram 54,5%", informou o Cremesp.
Lista das escolas com BOM desempenho
Escolas que tiveram média de acerto IGUAL ou MAIOR a 60% entre seus alunos (em ordem alfabética)

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA SANTA CASA SÃO PAULO (FCMSCSP)
FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO (FIPA)
FACULDADE DE MEDICINA DO ABC (FMABC)
FACULDADE DE MEDICINA DE JUNDIAÍ (FMJ)
FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA (FAMEMA)
FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (FAMERP)
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS (PUC-CAMPINAS)
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO (PUC-SP)
UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO (UNAERP)
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP)
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - RIBEIRÃO PRETO (USP-RP)
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS (UNICAMP)
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO (UNESP)
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCAR)
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO (UNIFESP)
Composição da prova
A prova foi composta por 120 questões de múltipla escolha, com cinco alternativas de respostas. Teve duração de até quatro horas e abrangeu as principais áreas da medicina. O Exame foi aplicado pela Fundação Carlos Chagas (FCC) e os critérios e a metodologia foram os mesmos utilizados e validados nos exames anteriores.

Muitos dos recém-formados desconhecem o diagnóstico ou tratamento adequado de casos básicos e problemas de saúde frequentes:

- 78% não acertaram a manifestação laboratorial no caso da insuficiência renal crônica;
- 61% erraram ao apontar o principal fator para redução de risco cardiovascular no tratamento de hipertensão arterial;
- 64% dos participantes erraram na conduta terapêutica na asma brônquica em criança;
- 63% não acertaram tratamento do infarto agudo do miocárdio sem elevação do ST-T no eletrocardiograma. Este tipo de infarto representa, pelo menos, 40% daqueles pacientes com infarto aguda do miocárdio que chegam ao PS;
- 72% não acertaram as principais características no caso de transtorno bipolar;
- 73% não souberam identificar principais características no caso de paciente com esquizofrenia;
- 60% não acertaram a conduta para o tratamento da asma brônquica em adulto;
- 60% erraram o diagnóstico de Doença de Graves, uma das formas mais fr-quentes de hipertiroidismo;
- 60% não acertaram o tratamento da cetoacidose diabética

Exame obrigatório para residência
De acordo com o Cremesp, a participação no exame passa neste ano a ser critério para acesso à Residência Médica, concurso público e mercado de trabalho. Programas de Residência Médica, como da Unicamp, USP de São Paulo, USP de Ribeirão Preto, Santa Casa, Unifesp, ABC, Hospital do Servidor Público Estadual, FM Rio Preto entre outros, passarão a exigir, a partir deste ano, a participação no Exame do Cremesp como condição para o acesso à Residência.

"A Secretaria da Saúde do Município de São Paulo publicou portaria exigindo a participação na prova do Cremesp a todo médico que se inscrever em concurso público para preenchimento de vagas. Decreto da Secretaria de Estado da Saúde faz a mesma exigência. Recentemente, a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) firmou com o Cremesp um protocolo de intenções, estabelecendo que o Exame do Cremesp será considerado na sele ção de candidatos à Residência Médica e na contratação de profissionais, para
os mais de 80 hospitais e instituições conveniados à entidade, entre eles os
hospitais Albert Einstein e Sírio-Libanês", informa o Cremesp.
fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário