quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Israel ainda está sem embaixador no Brasil

 

'Excepcionalmente qualificado', diz Netanyahu sobre embaixador. Primeiro-ministro de Israel disse que vai continuar defendendo o nome de novo embaixador para o Brasil que foi mal recebido pelo governo
‘Excepcionalmente qualificado’, diz primeiro-ministro de Israel sobre Dani Dayan. O nome do novo embaixador foi mal recebido pelo governo brasileiro


Em Israel, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse, que vai continuar defendendo o nome de um novo embaixador que ainda não foi aprovado pelo governo brasileiro.
Há mais de um mês, Israel não tem embaixador no Brasil. É praxe na diplomacia internacional que o país que envia um representante consulte o país que vai receber. Mas Israel publicou a decisão antes de consultar o governo brasileiro. E o Brasil até agora não negou, nem aceitou a indicação.
O nome do israelense-argentino Dani Dayan foi muito mal recebido no Brasil. Ele já foi líder da organização que representa os assentamentos israelenses na Cisjordânia e mora num deles.
Assentamentos – as moradias construídas por Israel em terras que a ONU reconhece como pertencentes aos palestinos – são vistos pelo governo brasileiro como desrespeito à lei internacional e um obstáculo a negociações de paz.
Num discurso para imprensa internacional, em Jerusalém, Netanyahu disse que Israel tem boas relações com todos os países da América Latina, “menos com um”.
O nome do israelense-argentino Dani Dayan foi muito mal recebido no Brasil devido ao fato dele já ter sido líder da organização que representa os assentamentos israelenses na Cisjordânia. Detalhe, ele mora num deles
O nome de Dani Dayan foi muito mal recebido no Brasil devido ao fato dele já ter sido líder da organização que representa os assentamentos israelenses na Cisjordânia. Detalhe, ele mora num deles
Ele poderia ter citado a Venezuela, com quem Israel não mantém relações diplomáticas. Mas deixou no ar. O ‘Jornal Nacional’ perguntou ao primeiro-ministro se por acaso ele falava do Brasil. “Era para você adivinhar”, ele brincou e depois disse que os dois países mantêm boas relações.
Sobre a falta de um embaixador em Brasília, o ‘Jornal Nacional’ perguntou se ele já tinha uma solução. “Acredito que Dani Dayan é excepcionalmente qualificado”, ele respondeu. “Continua sendo meu candidato. Eu penso que rotular pessoas é o próximo estágio depois de rotular produtos. E não quero rotular ninguém”, disse.
A referência a rótulos em produtos é porque, há dois meses, a União Europeia decidiu alertar os consumidores sobre produtos originários de assentamentos israelenses na Cisjordânia.
Numa declaração à imprensa local, a vice-ministra de relações exteriores de Israel disse que, se o nome de Dani Dayan não for aceito, Israel vai diminuir a importância de suas relações diplomáticas com o Brasil. O que significaria deixar vazia a cadeira do embaixador em Brasília.
Em Brasília, o Ministério das Relações Exteriores declarou que não comenta o processo de indicação de embaixadores.
 Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário