terça-feira, 6 de outubro de 2015

O segredo por trás das crateras que se abrem de repente na terra


  Sumidouro na Rússia já triplicou de tamanho desde que surgiu, há dez meses

Sumidouro na Rússia já triplicou de tamanho desde que surgiu, há dez meses
Uma imensa cratera se formou na noite do dia 28 de setembro deste ano em uma área de camping em uma praia popular de Queensland, no nordeste da Austrália.
O poço, de 150 metros de diâmetro e 3 metros de profundidade, engoliu um carro, uma van e barracas, mas não deixou vítimas nem desaparecidos.
A área foi evacuada e 140 pessoas tiveram que deixar o camping, pois se teme que as correntes marítimas possam aumentar o tamanho da cratera.
Nas redes sociais, muitos leitores da ‘BBC Brasil’ questionaram o que causa este fenômeno.
Ele é bem mais comum do que se pensa, e já ocorreu em vários cantos do planeta. Só nesta mesma praia, outro gigantesco buraco já tinha aparecido havia quatro anos.
As razões
Mas por que se abrem esses gigantescos poços naturais na superfície?
Eles resultam de um processo de erosão, em que uma capa de rocha sob o solo, geralmente formada por rochas de carbonato de cálcio, como as pedras calcárias, é dissolvida por águas ácidas.
A água fica ácida porque, quando a chuva se infiltra no solo, ela absorve o dióxido de carbono e reage com vegetação em decomposição.
Com o tempo, a erosão vai criando um sistema de pequenas cavernas e, quando estas cavidades não suportam o peso da terra ou areia por cima delas, a terra afunda e forma um sumidouro.
Dependendo das circunstâncias, o colapso final destes poços pode levar minutos ou horas e se dar naturalmente ou ter outros fatores como gatilho, como uma chuva intensa ou um terremoto.
Em áreas urbanas, há alguns sinais de alerta, como janelas e portas que não fecham mais completamente ou rachaduras que aparecerem na fundação de uma casa. Em alguns casos, é possível sentir tremores no solo.
No caso da praia australiana, não está claro por que o sumidouro surgiu. Mas geólogos o estão monitorando para descobrir as causas e ver se é possível que toda a península desapareça.
Até o momento, eles dizem, não há sinais de que isto esteja ocorrendo ou possa vir a acontecer.
Outros sumidouros
Estas crateras podem variar no seu tempo de formação – alguns levaram milhares de anos para se formar – e variam muito em tamanho.
A mais profunda de que se tem notícia fica na China. Tem mais de 650 metros de profundidade e 600 metros de diâmetro.
Algumas surgem na natureza, outras em áreas urbanas.
Um sumidouro de 100 metros de profundidade se abriu em 2007 na Cidade da Guatemala, matando três pessoas e engolindo várias casas.
Em 2013, na Flórida, nos Estados Unidos, um buraco de poucos metros de largura levou consigo o quarto de uma casa e matou seu morador.
Também há milhares destes buracos às margens do Mar Morto, no Oriente Médio. Eles surgem desde os anos 1980, com o recuo das águas conforme o lago salgado seca.
E uma cratera que se abriu há dez meses na Rússia está sendo monitorada de perto, pois já triplicou de tamanho atingindo 120 m de largura, desde que surgiu.

Fonte: BBC Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário