segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Flórida tem 300 ursos negros mortos

Um urso negro é visto no Sequoia National Park, na Califórnia, em 9 de outubro de 2009. A temporada de caça a animais da espécie na Flórida durou apenas 48 horas este ano (Foto: AFP Photo/Mark Ralston/Files)Um urso negro é visto no Sequoia National Park, na Califórnia, em 9 de outubro de 2009. A temporada de caça a animais da espécie na Flórida durou apenas 48 horas este ano (Foto: AFP Photo/Mark Ralston/Files)
A temporada de caça para os ursos pretos, que foi reaberta há 21 anos em meio a uma polêmica na Flórida (sudeste dos Estados Unidos), terminou em apenas 48 horas com a morte de 300 animais, informaram as autoridades locais.
"A caça de ursos 2015 terminou oficialmente", anunciou neste domingo (25) à noite a Comissão de Conservação da Fauna da Flórida (FWC, em inglês) em comunicado.
Os caçadores se aproximaram da cota estabelecida de 320 exemplares, para uma população de ursos estimada em 3 mil no estado, muito mais rápido do que os sete dias previstos inicialmente pela FWC.
A reserva dos caçadores - provenientes principalmente do norte do estado - "ajudará a estabilizar o crescimento da população e, também, manter um número adequado de ursos", prosseguiu a FWC.
Mas os defensores dos animais criticaram que a temporada de caça foi ativada precocemente. A caça foi aprovada apenas três anos após o estado retirar o urso preto da lista de espécies em perigo.
Ao todo, 3.778 caçadores tentaram a sorte para comprar licenças para a prática: foram arrecadados US$ 376.900. O dinheiro será revertido sobretudo na melhoria da gestão dos resíduos, que significam um problema porque atraem os grandes mamíferos para as zonas povoadas.
A caça de ursos, que foi proibida em 1994, limitou-se este ano em uma presa por caçador e a condição de que o exemplar pese mais de 45kg, com a ideia de proteger os filhotes.
Há ursos em 41 dos 50 estados dos Estados Unidos. Em 33 deles, onde a caça é permitida, a população é estável ou aumenta, garantiu a FWC.
fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário