terça-feira, 2 de junho de 2015

Corpo abandonado em armário de estação de trem intriga polícia de Tóquio

Estacao em Tóquio (AFP): Funcionário da estação que abriu a mala contou que a primeira coisa que viu foi o cabelo da mulher Estacao em Tóquio (AFP): Polícia afirmou que corpo era de uma idosa, mas disse que ainda não há pistas sobre sua identidade© Estacao em Tóquio (AFP) Polícia afirmou que corpo era de uma idosa, mas disse que ainda não há pistas sobre sua identidade



























"Levamos um susto e ficamos horrorizados", disse Junchi Omoto, porta-voz da empresa JR-East, que controla estações de trens japonesas, ao contar como os funcionários encontraram o corpo de uma idosa em uma mala deixada na estação central em Tóquio.
A mala foi deixada em um armário na estação, mas como ninguém foi buscá-la no período de um mês, ela foi aberta pelos funcionários.
Dentro dela, os funcionário encontraram o corpo de uma mulher com idade entre 70 e 90 anos, que media cerca de 1,40 m.
"Havia um odor fora do normal quando abrimos a mala. E então vimos o cabelo", disse um dos funcionários.
Sem pistas
A polícia informou que não havia ferimentos aparentes no corpo da mulher e que ainda não há pistas sobre sua identidade.
O corpo da idosa foi colocado em mala amarela que media 70, por 90, por 25 centímetros.
As investigações sobre o crime estão em curso, com técnicos analisando as gravações das câmeras de segurança para tentar descobrir quem deixou a mala no local.
Pelas normas, malas deixadas por mais de um mês nos armários das estações de trem são retiradas do local e, depois de um tempo, aberta pelos funcionários. A maioria das estações de trens tem armários onde os viajantes podem deixar suas bagagens temporariamente.
Segundo a imprensa japonesa, policiais disseram que a mala foi retirada dos armários da estação de Tóquio em 26 de abril e que ficou na área de bagagem perdidas desde então, até ser aberta neste domingo.
A estação é uma das mais movimentadas do Japão, com cerca de 150 milhões de passageiros por ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário