sexta-feira, 3 de abril de 2015

Filho do governador de SP morreu em queda de um helicóptero

O corpo de Thomaz Rodrigues Alckmin, filho caçula do governador Geraldo Alckmin (PSDB), foi sepultado por volta das 19h05 desta sexta-feira (3) no cemitério municipal de Pindamonhangaba, a 156 km de São Paulo. Geraldo, Lu Alckmin e os dois irmãos de Thomaz estiveram o tempo todo próximos ao caixão e deixaram o local em uma van logo após o enterro.
A cerimônia foi acompanhada por parentes, amigos de Thomaz e da família e cerca de 1.500  moradores da cidade natal do governador, segundo estimativa da Polícia Militar. Também acompanharam o enterro autoridades como o senador José Serra (PSDB), o secretário de Segurança Pública estadual Alexandre de Moraes e os deputados federais Eduardo Cury (PSDB) e Paulo Maluf (PP). Sob comoção, os presentes fizeram uma rápida oração antes do enterro, que foi seguido de uma salva de palmas.
Alckmin e Lu seguem cortejo em direção ao cemitério para sepultarem o filho Thomaz (Foto: Daniel Corrá/ G1)Alckmin e Lu durante cortejo para sepultamento de
Thomaz (Foto: Daniel Corrá/ G1)
O sepultamento foi aberto ao público, mas foi montado um esquema especial para que  familiares e amigos ficassem próximos ao túmulo. Antes do enterro, o cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno, fez uma benção especial.
O corpo chegou a Pindamonhangaba por volta das 17h e foi levado ao velório municipal antes do cemitério. Lá, alguns familiares e amigos que não puderam ir ao velório em São Paulo se despediram de Thomaz. Por volta de 18h30, um cortejo seguiu por dois quarteirões até o cemitério municipal, onde aconteceu o sepultamento. A família, incluindo Geraldo e Lu Alckmin, seguiu o cortejo a pé ao lado do caixão.

No túmulo onde Thomaz foi sepultado, estão enterrados os pais do governador, Geraldo José Rodrigues Alckmin, morto em 1998, e Miriam Alckmin, que morreu em 1963, além da babá dele, Thereza Faria Santos, que faleceu em janeiro deste ano. Empregada da família Alckmin, ela ajudou a criar o governador após a morte da mãe, quando ele tinha 11 anos.
Thomaz Alckmin era casado desde 2011 com a arquiteta Thais Fantato (Foto: Alessandro Shinoda/Folhapress)Thomaz Alckmin era casado desde 2011 com a
arquiteta Thais Fantato.
(Foto: Alessandro Shinoda/Folhapress)
O velório de Thomaz Alckmin foi encerrado por volta das 14h15 e um cortejo fez o translado do corpo do piloto de 31 anos até Pindamonhangaba.

O filho caçula do governador trabalhava como piloto e acompanhava um voo de teste após manutenção da aeronave na tarde de quinta-feira (2). Ele era casado desde 2011 com a arquiteta Thais Fantato e deixa duas filhas, uma de 10 anos e outra recém-nascida, com aproximadamente um mês.
Além do caçula de Alckmin, morreram: Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves (53 anos, piloto do helicóptero e funcionário da Seripatri), Paulo Henrique Moraes (42 anos, mecânico e funcionário da Seripatri)  Erick Martinho (36 anos, mecânico da empresa Helipark) e Leandro Souza (34 anos e mecânico da Helipark).
Nota do governo do estado
Leia abaixo íntegra da nota divulgada:
"O governo de São Paulo informa, com imenso pesar, que Thomaz Rodrigues Alckmin, o caçula dos três filhos do governador Geraldo Alckmin e de dona Lu Alckmin é uma das cinco vítimas da queda do helicóptero EC-155 ocorrida na Grande São Paulo na tarde desta quinta-feira. Thomaz tinha 31 anos e era piloto profissional de aeronave. Ele deixa esposa, Taís, duas filhas, Isabela e Júlia, e os irmãos Sophia e Geraldo Alckmin Neto.
Sob o impacto dessa tragédia, a família Alckmin, inconsolável, agradece as manifestações de pesar e carinho e busca conforto na fé que sempre a alimentou. Seus pensamentos e preces se estendem às famílias das outras vítimas.

Queda helicóptero Thomaz Alckmin (Foto: Arte/G1)















Nenhum comentário:

Postar um comentário