terça-feira, 24 de março de 2015

Avião com 150 pessoas cai na França

Arte completa - mapa da queda, raio-x do avião Airbus A320 e altitude (Foto: Arte/G1)
Um avião Airbus da companhia Germanwings, empresa da Lufthansa, caiu no sul da França nesta terça-feira (24). A aeronave ia de Barcelona, na Espanha, para Düsseldorf, na Alemanha, segundo autoridades aéreas. O voo 4U9525 viajava com 150 pessoas a bordo – 144 passageiros, dois pilotos e quatro tripulantes.
O QUE SE SABE ATÉ AGORA:
– Um avião Airbus A320, da companhia Germanwings, caiu na manhã desta terça-feira (24), no sul da França;
– O voo 4U9525 fazia a rota Barcelona, na Espanha, a Düsseldorf, na Alemanha;
– O avião decolou com meia hora de atraso, mas a companhia ainda não sabe informar o motivo;
– A aeronave levava 144 passageiros, 2 pilotos e 4 tripulantes;
– Não há sobreviventes, disse o governo francês;
– A aeronave descolou às 9h55 locais (5h55 de Brasília);
– Segundo a empresa, a queda durou oito minutos;
– Destroços foram localizados em uma região de 2 mil metros de altitude;
– Segundo o ministro do Interior francês, uma caixa-preta do avião foi encontrada;
– A Direção Geral de Aviação Civil da França negou que um pedido de socorro teria sido emitido pelo avião antes da queda;
– A aeronave passou por manutenção de rotina um dia antes do acidente;
– Ainda não se sabe o que causou o desastre.
Logo após a notícia do acidente, o Ministério do Interior francês informou que destroços foram localizados em uma região de 2 mil metros de altitude, segundo a agência Associated Press.
Um helicóptero que pousou no local constatou que não havia sobreviventes, disse o primeiro-ministro da França, Manuel Valls, segundo a agência France Presse.
Pouco antes da confirmação, o presidente francês, François Hollande, já havia comentado que eram poucas as chances de ter sobreviventes.
“Havia 148 pessoas a bordo [número posteriormente confirmado para 150] e as condições do acidente, que ainda precisam ser determinadas com precisão, sugerem que não haveria sobreviventes”, disse Hollande.
Em seu perfil do Twitter, o presidente da França expressou "solidariedade às famílias das vítimas" e disse que a queda do avião é uma "tragédia".
Atraso
O voo decolou de Barcelona com 30 minutos de atraso. Questionada sobre o motivo, a vice-presidente da Lufthansa, Heike Birlenbach, disse ainda não ter informação a respeito.
Em entrevista coletiva, uma porta-voz da companhia disse que, a princípio, a empresa não pode dar nenhum motivo para a queda e que não irá comentar especulações sobre a tragédia.
A Germawings afirmou que o piloto voava pela empresa havia dez anos e que o avião foi verificado por técnicos, em uma manutenção de rotina, um dia antes.
O ministro de Interior francês, Bernard Cazeneuve, confirmou ao jornal "Le Figaro" que uma das caixas-pretas do avião foi encontrada. Esse instrumento registra as informações do voo e pode dar indicações sobre a causa do acidente.
"A caixa-preta estará sujeita a uso imediato nas próximas horas para permitir que a investigação se mova rapidamente", disse Cazeneuve. "Foram tomadas medidas para garantir a segurança na zona de queda para a investigação a ser realizada nas melhores condições”.
Buscas
Segundo o ministro do Interior francês, 300 bombeiros, 300 policiais, dez helicópteros militares e aviões participam das buscas pelos destroços e vítimas.
Segundo o jornal francês "L'Express", os trabalhos foram suspensos ao anoitecer, por volta das 20h locais (16h em Brasília).
A investigação e as buscas serão retomadas entre 5h30 e 6h desta quarta (25), e a Germanwings disse que até lá não divulgará novas informações sobre o acidente.
Cinco policiais vão passar a noite no local do acidente. Na quarta, 10 médicos forenses e representantes de três associações de ajuda às vítimas estarão no local. Peritos de Paris também estão a caminho para fazer a identificação dos corpos.
Pelo que se sabe até agora, estariam entre as vítimas 67 alemães, 45 espanhóis, dois marroquinos, dois colombianos, dois australianos, uma holandesa e um número não confirmado de turcos. Não haveria franceses. Ainda não foi divulgada a lista dos passageiros que embarcaram.
O baixo-barítono Oleg Bryjak e o contralto Maria Radner, que se apresentaram no teatro Liceu em Barcelona, estariam entre as vítimas da queda do avião da Germanwings (Foto: Reprodução/ Twitter/ Gran Teatre Liceu)Os cantores líricos Oleg Bryjak e Maria Radner
estariam no avião que caiu
(Foto: Reprodução/ Twitter/ Gran Teatre Liceu)
Vítimas
Mesmo sem a lista, já foram divulgados os nomes de algumas pessoas que estariam no avião. A Ópera de Düsseldorf anunciou que o o baixo-barítono Oleg Bryjak é uma das vítimas do acidente, de acordo com a agência Associated Press.
No Twitter, o teatro Liceu de Barcelona lamenta a morte de Bryjak e da contralto Maria Radner, que se apresentaram no local. Segundo o jornal espanhol "El Mundo", Maria estaria com o marido e o filho bebê.
Além do filho de Maria, estava no avião outra criança de colo, acompanhada da mãe espanhola. 
O diretor da escola Joseph-Koenig, que fica na cidade alemã de Haltern am See, confirmou que 16 estudantes e 2 professores da instituição estavam a bordo da aeronave que caiu. “Nesta manhã, os nossos alunos voltavam de Barcelona depois de um intercâmbio com estudantes espanhóis.”
De acordo com o governo brasileiro, até o momento não há informações da presença de nenhum brasileiro no avião. O Itamaraty diz que o consulado brasileiro em Barcelona  está checando a lista de passageiros com as autoridades europeias.
As famílias das vítimas estão sendo recebidas nos aeroportos de Barcelona e Dürsseldorf.
Sinal de alerta
A Germanwings disse que a queda do avião durou oito minutos. A Direção Geral de Aviação Civil da França contrariou uma informação divulgada horas atrás, de que o avião teria emitido um sinal de emergência.
Destroço que parece ser parte da lateral do Airbus acidentado é vista em encosta nos Alpes Franceses (Foto: Denis Bois/Gripmedia/AFP)Imagem do que seria um destroço do avião no local
da queda (Foto: Denis Bois/Gripmedia/AFP)
Segundo o órgão, foi o controle de tráfego aéreo que decidiu emitir o sinal de alerta porque não tinha contato com a tripulação e o avião.
"A aeronave não emitiu um sinal de emergência, mas foi uma combinação da perda do contato de rádio e a variação da altura do avião que levou o controlador a implementar a fase de emergência", disse o porta-voz da autoridade francesa.
O Secretário de Estado dos Transportes francês, Alain Vidal, havia divulgado a informação de que “houve um pedido de socorro registrado às 10h47. Esse sinal de socorro mostrou que a aeronave estava a 5 mil pés, em uma situação anormal”. Vidal havia dito que o acidente ocorreu pouco após este sinal.
Ao "Le Figaro", ele falou que o avião caiu nas montanhas de Estrop, uma área coberta de neve e inacessível por terra. Segundo ele, as condições meteorológicas não eram particularmente ruins no momento do acidente.
Familiares de vítimas do acidente com o voo 4U9525, da companhia alemã Germanwings, chegam ao aeroporto El Prat, em Barcelona, na Espanha (Foto: Albert Gea/Reuters)Familiares de vítimas do acidente chegam ao aeroporto El Prat, em Barcelona (Foto: Albert Gea/Reuters)
Luto
O presidente da França expressou apoio à chanceler alemã, Angela Merkel, em uma ligação telefônica depois da notícia da queda do avião, informou o palácio do Eliseu. Merkel disse, em pronunciamento, que Alemanha, Espanha e França estão em luto profundo pelas vítimas do acidente. 
A chanceler disse ainda que os três países vão trabalhar em conjunto para descobrir as causas do desastre e que irá ao local do acidente nesta quarta. Irão com ela Hollande e o presidente de governo da Espanha, Mariano Rajoy.
A vice-presidente de governo da Espanha, Soraya Sáenz de Santamaría, disse que o país decretou luto oficial de três dias a partir da meia-noite e que os órgãos públicos farão um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente ao meio-dia desta quarta.
O Papa Francisco e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, também prestaram suas condolências às famílias dos mortos no acidente. A Germanwings mudou a cor do logo de seu perfil no Twitter para preto, em uma demonstração de luto.
Carsten Spohr, presidente da Lufthansa, postou uma mensagem em seu perfil do Twitter, dizendo: "Não sabemos ainda o que aconteceu com o voo 4U9525. Meus profundos sentimentos para os familiares e amigos de nossos passageiros e tripulantes. Se nossos medos forem confirmados, será um dia obscuro para a Lufthansa. Esperamos encontrar sobreviventes."
A queda
Segundo o jornal francês "Le Monde", a aeronave desapareceu dos radares por volta das 10h53 locais. Segundo o site que monitora o sistema aéreo Flightradar, o avião decolou 9h55 de Barcelona, horário local (5h55 de Brasília).
De acordo com o site da Airbus, a capacidade máxima da aeronave é de 180 passageiros. A empresa disse em sua página no Facebook que está ciente dos relatos da queda de um avião fabricado pela companhia e informou que todos os seus esforços foram direcionados para avaliar a situação. Segundo o “Le Figaro”, o Airbus A320 que caiu estava em uso havia 24 anos.
O maior sindicato de controladores aéreos da França, o SNCTA, anunciou a suspensão de sua convocação de greve para os dias 25, 26 e 27 de março.
“Nessas circunstâncias dramáticas e considerando a emoção que esse acidente levanta, especialmente entre os controladores aéreos, o sindicato decidiu suspender o seu aviso de greve”, informou em seu site.
fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário