segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Obama não descarta reabrir embaixada americana no Irã

 Imagem: Bill Ingalls/Nasa

O Irã pode se tornar uma “potência regional de muito êxito” se concordar com um acordo de longo prazo para limitar o programa nuclear do país, disse o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em entrevista à rádio pública nacional americana (NPR, na sigla em inglês). “Eles têm uma chance de se acertar com o mundo”, afirmou Obama em entrevista gravada na Casa Branca em 18 de dezembro e programada para ser transmitida nesta semana.
Obama também não descartou a possibilidade dos EUA um dia reabrirem a embaixada no Irã. Perguntado sobre essa possibilidade na entrevista, o presidente americano disse: “Eu nunca digo nunca”. Contudo, ele afirmou que os laços devem ser restaurados em etapas. O presidente norte-americano disse que o Irã é diferente de Cuba, onde os EUA planejam abrir uma embaixada. Segundo Obama, Cuba é pequena e não representa qualquer ameaça importante para os EUA, enquanto o Irã é grande, já patrocinou o terrorismo e buscou desenvolver tecnologias nucleares.
Ainda assim, Obama afirmou esperar que os EUA e o Irã possam chegar a um acordo nuclear e, assim, o país do Oriente Médio poderia se juntar à comunidade mundial. O presidente espera que esse desdobramento leve a uma melhora nas relações com os EUA.  Há mais de um ano, o Irã concordou com um plano temporário para paralisar o seu enriquecimento de alto nível de urânio, em troca de um alívio limitado nas sanções financeiras, ficando pendentes as negociações para um pacto de longo prazo. Essas negociações foram agora estendidas até junho de 2015. O Irã diz que o seu programa nuclear é para fins pacíficos de geração de energia, mas os EUA e outras cinco potências querem assegurar que Teerã não possa desenvolver rapidamente armas atômicas.
Obama disse à NPR que o Irã deveria aproveitar a chance de um acordo que poderia suspender as sanções. “Porque se eles fizerem isso, há incríveis talentos, recursos e sofisticação no Irã, e eles seriam um poder regional de muito sucesso, que também estariam seguindo as normas e regras internacionais. E isso seria bom para todos”, afirmou. Obama insistiu que um acordo nuclear ainda é possível, embora o seu vice, Joe Biden, tenha comentado no início do mês sobre as dificuldades para o pacto. Obama disse reconhecer que o Irã tem “preocupações legítimas com defesa” depois de ter “sofrido com uma terrível guerra contra o Iraque” nos anos 1980. No entanto, ele criticou Teerã por seu “apoio a organizações como o Hezbollah” e “ameaças que eles têm dirigido a Israel”.
 Fonte: Veja


  • Pano é esquecido dentro da barriga de paciente
  • Indiano comemora gol com salto que o leva a morte
  • Miss Universo 65 gasta US$ 2 milhões em plástica ..
  • Viver com fumante equivaleria a morar em cidade poluída.
  • Vacinas experimentais contra o ebola podem ser testadas...
  • Armas dos EUA caem nas mãos de terroristas do Estado Islâmicos...
  • jihadistas apedrejam mulher acusada de adultério ...
  • Anvisa proíbe venda de lote de açúcar com excremento ...
  • Time de futebol contrata pastor para evitar rebaixamento..
  • Aumento da contaminação por ebola pode encarecer chocolate...
  • Vereadores de Franca oram pedindo chuvas para São Paulo...
  • Seita ensina que Jesus reencarnou em uma mulher chinesa..
  • OMS declara Nigéria livre do ebola
  • Suspeito de matar 39 pessoas frequentava igreja ...
  • Engenheiro planeja popularizar máquina que produz água...
  • Britânica fica em choque ao 'receber SMS' de avó morta..
  • Clarão no céu chama atenção de moradores ...
  • Fogo já destruiu 2.830 hectares em Petrópolis, RJ
  • Nenhum comentário:

    Postar um comentário