quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Justiça aprova auxílio-moradia milionário a juízes e procuradores


Órgão administrativo do Judiciário regulamentou benefício aos magistrados
Órgão administrativo do Judiciário regulamentou benefício aos magistrados
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) regulamentou nesta terça-feira (7) o pagamento de auxílio-moradia a todos os juízes do país e fixou em R$ 4.377,73 o valor do benefício para os magistrados – o mesmo previsto para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).
Por decisão liminar (provisória) do ministro Luiz Fux, da Suprema Corte, todos os juízes federais, estaduais, da Justiça do Trabalho e da Justiça Militar passaram a ter a prerrogativa de receber o auxílio-moradia.
Os conselheiros do CNJ, no entanto, entenderam que a concessão do benefício não é retroativa, ou seja, só valerá a partir da primeira liminar concedida por Fux em favor dos magistrados, em 15 de setembro.
Apesar de também terem direito à ajuda de custo, nenhum ministro do STF recebe esse benefício atualmente porque eles têm à disposição imóveis funcionais em Brasília. Somente os magistrados que não ocupam apartamentos do Judiciário podem requisitar o valor correspondente ao auxílio-moradia.
O benefício será garantido até para juízes que possuem residência própria e para aqueles que atuam em suas cidades de origem.
Antes da decisão de Fux, recebiam o valor alguns juízes estaduais, ministros de tribunais superiores e do Supremo. No dia 15 de setembro, Fux estendeu o pagamento do benefício mensal a todos os juízes federais. Um dia após a decisão de caráter liminar, associações que representam magistrados de outras especialidades também ingressaram com pedido para requerer o auxílio.
O ministro, então, determinou a liberação mensal do benefício aos demais magistrados do país. Ele pediu que o CNJ regulamentasse os pagamentos e fixou, enquanto isso, o valor do benefício garantido atualmente a ministros do Supremo como referência.
Extensão do benefício
Com a aprovação do auxílio pelo CNJ, o MP decidiu que os procuradores e promotores também deverão receber R$ 4,377 mil por mês.
Atualmente, há 12.262 integrantes do Ministério Público e 16.429 juízes. Portanto, se for considerado o valor de R$ 4,37 mil, o custo da concessão de auxílio-moradia será de aproximadamente R$ 125,5 milhões por mês. A decisão para procuradores, assim como a que beneficiou magistrados, vale a partir da primeira decisão do Supremo em favor da concessão do auxílio, no dia 15 de setembro.

Fonte: G1
  • Deus não é suficiente para explicar a criação do universo...
  • Al Qaeda ameaça países da coalizão com ataques ...
  • Raio cai em fazenda e mata 60 cabeças de gado
  • Igreja Universal cria disque-descarrego
  • População de Israel atinge “marca profética”
  • Dízimos e ofertas movimentam R$ 27 milhões ...
  • Casal cria site de swing voltado para cristãos
  • Missa negra atrais mais cristãos que satanistas
  • Nepal: cantora pagã se converter ao cristianismo ...
  • Cristãos lutam contra o crescimento do Boko Haram
  • Prática de automutilação entre adolescentes ...
  •  Reino Unido se prepara para atacar Estado Islâmico...
  • Bebê chora e é encontrado ao lado do corpo da mãe ...
  • Rio de Janeiro é a 11ª cidade mais cara do mundo ...
  • Brasil não assina declaração para zerar desmatamento...
  • Nenhum comentário:

    Postar um comentário