quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Ebola: Espanha, França e Estados Unidos

Ao menos 8 novos pacientes foram classificados como suspeitos de terem ebola fora da África nesta quinta-feira: 6 casos foram na Espanha, 1 nos  Estadosa Unidos e 1 França. Nos Estados Unidos, outras 7 pessoas entraram em isolamento voluntário, apesar de não terem sintomas. Em Serra Leoa, um dos três países onde há transmissão intensa da doença – ao lado de Libéria e Guiné – foram registradas duas mortes no único distrito do país que ainda não tinha sido afetado pelo vírus.
Espanha
Na Espanha, seis pessoas foram hospitalizadas para fazerem testes de ebola nesta quinta. Três dos casos foram registrados na capital, Madri, e três foram nas Ilhas Canárias, que pertencem à Espanha.
Infográfico sobre ebola, V6 (Foto: Infográfico/G1)
Em Madri, um missionário espanhol que retornou recentemente da Libéria foi hospitalizado depois de apresentar possíveis sintomas de ebola, segundo a France Presse. Ele é membro da Ordem Hospitaleira de São João de Deus, que trabalha na África Ocidental, a mesma ordem a que pertenciam os dois religiosos que morreram da doença depois de terem sido repatriados. O missionário, cujo nome não foi divulgado, chegou à Espanha no sábado vindo da Libéria e foi internado no Hospital Carlos III, o mesmo em que está aenfermeira Teresa Romero, que foi infectada depois de tratar dos dois padres espanhóis.
Outro paciente é o passageiro de um voo da Air France proveniente de Lagos, na Nigéria, a Madri. Ele foi identificado como um caso suspeito de ebola quando começou a tremer durante o voo. O aeroporto internacional de Barajas, em Madri, ativou um protocolo de emergência e o paciente também foi levado ao Hospital Carlos III.
terceiro paciente internado em Madri com suspeita de ter ebola está entre as pessoas que estavam sendo monitoradas para sinais da doença porque estiveram em contato com Teresa Romero. Ele também foi levado para o Hospital Carlos III depois de desenvolver febre alta.
“Em todos esses casos, testes serão feitos e os resultados se tornarão conhecidos nas próximas horas”, disse o comitê de ebola do governo espanhol, de acordo com a Reuters. Teresa ainda está gravemente doente, apesar de estável. Outras 15 pessoas, incluindo seu marido, ainda estão no hospital em observação, mas não desenvolveram sintomas da doença
Outras três pessoas foram levadas a um hospital nas Ilhas Canárias em casos possivelmente relacionados ao ebola. Um deles é um homem que chegou a Tenerife em 12 de outubro vindo de Serra Leoa. Ele desenvolveu febre nesta quinta-feira, foi internado e passou a ser monitorado como um caso suspeito da doença. Duas outras pessoas que vivem com ele também foram levadas ao hospital como uma medida preventiva.
França
Uma enfermeira suspeita de ter sido infectada pelo vírus ebola  deu entrada em um hospital francês nesta quinta-feira. A mulher, que sofria de uma forte febre, foi transferida de sua casa, na grande Paris, para o hospital militar de Bégin, em Saint-Mandé, nos arredores da capital, noticiou o jornal "Le Parisien".
A mulher esteve em contato frequente com uma enfermeira francesa voluntária   que trabalhava para a organização Médicos sem Fronteiras, contraiu ebola na Libéria e foi repatriada no mês passado. A enfermeira, primeira francesa a ser infectada com a doença, recebeu um tratamento experimental para o vírus e se recuperou em seguida.
Estados Unidos
Nos Estados Unidos, um hospital de Connecticut está testando um estudante da Universidade de Yele  depois que ele desenvolveu sintomas parecidos com o da infecção. Ele viajou para a Libéria no mês passado e um diagnóstico preliminar pode sair em breve, de acordo com o governador Dannel Malloy.
O paciente era um dos estudantes de epidemiologia que viajaram para a Libéria para aconselhar o Ministério da Saúde do país a usar computadores para rastrear o ebola, de acordo com Laurence Grotheer, porta-voz da prefeita de New Haven, Toni Harp. De acordo com a Universidade de Yale, os estudantes não viajaram para áreas na Libéria com transmissão de ebola.
Imagem de Amber Vinson publicada no Twitter por jornalista da CNN, divulgada pela autoridade escolar de Akron, em Ohio (Foto: Reprodução/Twitter/MarlenaCNN)Imagem de Amber Vinson publicada no Twitter por
jornalista  (Foto: Reprodução/Twitter/MarlenaCNN)
Ainda nos Estados Unidos, sete pessoas que confirmaram contato com a segunda enfermeira do Texas diagnosticada com o vírus  durante viagem dela a Ohio no fim de semana estão em isolamento voluntário e não apresentaram sintomas do vírus, disseram autoridades locais de saúde nesta quinta-feira.
Amber Vinson, de 29 anos, teve contatos limitados fora da família após viajar de avião para a região de Cleveland na sexta-feira e voltar para Dallas na segunda, um dia antes de ser diagnosticada com ebola. No entanto, ela visitou um estabelecimento comercial, segundo autoridades.
"Todas as pessoas identificadas que tiveram contato com a enfermeira durante a viagem foram contactadas, estão sendo monitoradas, e não apresentam sintomas", disse a diretora médica do condado Summit, Marguerite Erme, em entrevista coletiva.
Ebola atinge último reduto em Serra Leoa
O único distrito de Serra Leoa que ainda não tinha registrado nenhum caso de ebola, o distrito de Koinadugu, reportou duas mortes pela doença, segundo informou uma autoridade em saúde da nação nesta quinta-feira. Serra Leoa é um três países que formam o epicentro da epidemia de ebola, ao lado de Libéria e Guiné.
A Organização Munidal da Saúde, OMS, divulgou nesta quarta-feira (15), que o ebola já contaminou 8,997 pessoas e provocou a morte  de 4.493   . A maior parte dos casos de contágio ocorreram em Guiné, Libéria e Serra Leoa. Nigéria, Senegal, Espanha e Estados Unidos também tiveram notificações. Os números referem-se aos casos registrados até o dia 12 de outubro.
fonte:G1

HISTÓRIAS PARA REFLEXÃO


Nenhum comentário:

Postar um comentário