terça-feira, 14 de outubro de 2014

19 municípios de Santa Catarina foram afetados pela chuva de granizo

Granizo causou danos em 19 cidades  (Prefeitura de Lages/Divulgação)

14/10/2014 18h13 - Atualizado em 14/10/2014 18h27
  
 A Defesa Civil de Santa Catarina informou que 84 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas com granizo da segunda-feira (13) em 19 municípios, do Vale do Itajaí, Oeste, Grande Florianópolis e Serra. O boletim foi emitido pelo órgão de administração de catástrofes naturais na tarde desta terça (14). Lages foi a cidade com maior número de estragos, com cerca de 80 mil prejudicados. Cerca de 6 mil pessoas estão desalojadas no estado.
Pedras destruíram imóveis e eletrodomésticos (Foto: Prefeitura de Lages/Divulgação)Pedras destruíram imóveis e eletrodomésticos
(Foto: Prefeitura de Lages/Divulgação)
Segundo a Defesa Civil, dois decretos de emergência municipais já chegaram ao órgão estadual: Lajes, na Serra Catarinense , e São José do Cerrito fizeram o pedido entre segunda e esta terça. Neste primeiro momento, são enviados kits de necessidades básicas às vitimas e é feito trabalho paliativo de controle de danos, como a distribuição de lonas para os telhados das casas que tiveram perfuração com as pedras de granizo. O investimento destinado à reconstrução não foi divulgado.
De acordo com o órgãojá foram disponibilizados 60 rolos de lonas, mais de 20 mil telhas e aproximadamente 8 mil kits de acomodação de solteiro, colchões de solteiro, kits de higiene e limpeza. O granizo foi causado por um sistema de baixa pressão entre o Noroeste do Rio Grande do Sul e o Litoral Sul de Santa Catarina, somado a passagem de uma frente fria pelo oceano. Situação que gerou "forte instabilidade do tempo, junto de volume expressivo de descargas elétricas", informou a Defesa Civil.
Pedras quebraram telhados e vidros de casas e veículos (Foto: Prefeitura de Lages/Divulgação)Pedras quebraram telhados e vidros de casas e
veículos (Foto: Prefeitura de Lages/Divulgação)
 A chuva começou por volta das 15:30 de segunda em Lages e o granizo durou cerca de 20,minutos . “Telhas e vidros quebraram. Carros ficaram com a lataria amassada, lanternas, faróis e para-brisas quebraram. As pedras de gelo eram muito espessas e a velocidade com que caíram também ajudou a provocar prejuízos assustadores. Era um gelo maciço, do tamanho de ovos”, explica o vice-secretário da Defesa Civil municipal, Mushue Hampel.
A corretora de imóveis, Cristiane Gamborgi mora no Centro e afirma que buscou soluções paliativas em casa. "O telhado ficou todo furado. A gente só consegue trocar o balde do lugar", comenta a mulher que acionou o seguro para fazer o conserto da residência.
Granizo em Lages (Foto: Lucas Neves/RBS TV)Granizo perfurou carros em Lages
(Foto: Lucas Neves/RBS TV)
A forte chuva de granizo danificou vários carros que estavam estacionados nas ruas. Alguns tiveram os vidros destruídos pelo impacto das pedras de gelo. Eletrodomésticos também estragaram por causa da chuva que molhou o interior das residências com telhados perfurados pelo granizo.
No início da tarde de segunda, os municípios de Fraiburgo e Videira, no Oeste catarinense, além de Sombrio, no Sul do estado, também tiveram chuva com incidência de granizo. Segundo a Central RBS de Meteorologia, o fenômeno foi de fraca intensidade. Na primeira cidade, de acordo com os bombeiros, pelo menos dez casas tiveram danos nos telhados devido às pedras.
Pedras de gelo surgiram em Fraiburgo (Foto: Tatiana Paluski/Divulgação)Pedras de gelo se formaram em Fraiburgo
(Foto: Tatiana Paluski/Divulgação)
Ainda segundo os bombeiros, a região de 10 de Novembro, em Fraiburgo foi a mais afetada pelo granizo. A chuva durou cerca de 10 minutos, com início às 14h30.
Os municípios de Sombrio e Videira também registraram incidência rápida do fenômeno, por cerca de 10 minutos entre 14h e 15h. Conforme explica a Central RBS de Meteorologia, a combinação de alta umidade do ar e altas temperaturas provocou os temporais rápidos em todo o estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário