sexta-feira, 30 de maio de 2014

China proíbe enterros e idosos se matam antes que lei entre em vigor


Imagem: DivulgaçãoA partir de 1º de junho, o governo da cidade de Anqing, na província oriental de Anhui, na China ordenou que todos os mortos devem ser cremados. Segundo o jornal local “Beijing News Daily”, as novas regras provocaram as mortes de seis idosos. De acordo com os familiares, eles teriam se matado para conseguirem ser sepultados.
A China tem uma tradição milenar de culto aos ancestrais que determina aos parentes a responsabilidade de enterrar seus familiares e construir os túmulos. No entanto, nos últimos anos, as sepulturas têm sido demolidas em diversas partes do país como parte de uma campanha nacional de incentivo a cremação. O objetivo é tentar economizar os recursos terrestres já limitados.
Diante da medida, funcionários do governo começaram neste mês a confiscar caixões. O advogado chinês Zheng Daoli classificou a ação como ilegal porque eles são propriedade de seus donos.
Zheng Shifang, de 83 anos, se matou após as autoridades serrarem seu caixão na frente dela, enquanto a chinesa Wu Zhengde, de 91 anos, se enforcou depois de saber das novas regras, segundo a imprensa. Outros idosos beberam veneno.
Em Anqing, os moradores gastam até uma década preparando seus caixões. A notícia da proibição dos enterros só foi divulgada em abril, dois meses antes da nova regulamentação entrar em vigor. O governo local disse à imprensa que os suicídios não estavam ligadas à proibição do enterro e que as pessoas tinham desistido de seus caixões de forma voluntária.
Em outros lugares da China, as autoridades locais lançaram campanhas para diminuir as sepulturas, como forma de criar a terra para a agricultura. Na província central de Henan, 400 mil túmulos foram destruídos em 2012, segundo a imprensa local.

Fonte: O Globo

Mãe lê diário da filha e polícia prende 4 parentes por abuso sexual


Avô, dois padrinhos e marido da avó são suspeitos de cometer o crime. Segundo polícia, três deles confessaram o delito contra a garota de 9 anos
Quatro homens foram presos nesta quinta-feira (29) suspeitos de abusar sexualmente de uma menina de 9 anos, em Indiara, a 100 km de Goiânia. Segundo a polícia, o crime era cometido por parentes e pessoas próximas da família: o avô materno, o marido da avó materna, o padrinho da garota e o padrinho da irmã dela. O caso só começou a ser investigado depois que a mãe leu o diário da criança e descobriu os abusos.
No caderno, que será usado pela polícia como prova, a menina relatava o que cada um dos suspeitos fazia e afirmava que não gostava do que acontecia. Ela escreveu os atos começaram quando ela era pequena e que, na época, não entendia o que estava acontecendo.
Oito policiais e dois delgados atuaram nas prisões. Segundo Queops Barreto, delegado de Indiara, três dos quatro detidos confessaram ter praticado os abusos e um deles ficou calado. Apesar de um exame de corpo de delito confirmar que não houve relação sexual, todos serão indiciados pelo crime de estupro de vulnerável e podem pegar de 8 a 15 anos de prisão.
Imagem: Reprodução/TV Anhanguera
No diário a menina conta que os abusos aconteciam há muito tempo
“O estupro de vulnerável não se restringe somente à conjunção carnal. Qualquer ato lascivo que caracterize de forma vulgar, o abuso de vulnerável, é tipificado como abuso de vulnerável”, explica Barreto.
Após receber as notícias das prisões, a mãe da garota contou como se sentiu: “Eu chorei de alegria, de alívio, raiva e tristeza, tudo junto. A gente tá passando por uma situação que não é fácil, porque envolve gente da família. Agora é tocar a vida com ela e observar mais, ficar sempre mais perto”.
A garota foi avaliada por uma psicóloga que constatou um trauma oriundo de uma experiência sexual anormal. “Como ficou muito tempo sem que ninguém soubesse desse crime, apenas ela sofrendo calada e os autores se aproveitando, essa criança vai ter que passar por um acompanhamento psicológico e médico para poder superar eventuais traumas que tenham ocasionado em sua vida”, disse o outro delegado da operação, Leandro Sperandio.

Fonte: G1

Joaquim Barbosa surpreende ao anunciar aposentadoria do STF

  •  


    O ministro Joaquim Barbosa anunciou que irá se aposentar do STF no final de junho
    O ministro anunciou que irá se
    aposentar do STF no final de junho
    A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, de se aposentar precocemente da mais alta corte do país, anunciada nesta quinta-feira (29), repercutiu no meio político e jurídico do país. Políticos, magistrados e advogados vieram a público para comentar a decisão do relator do processo do mensalão de se afastar do Judiciário no final de junho, aos 59 anos.
    Pela lei, ele poderia permanecer na Corte até completar 70 anos. Com a saída de Barbosa do comando do Supremo, o ministro Ricardo Lewandowski, atual vice-presidente da Corte, irá assumir a presidência do tribunal.
    Políticos, magistrados e advogados comentaram a decisão do ministro
    Álvaro Dias (PSDB-PR), senador
    “Soube que hoje alguns dos moradores da penitenciária da Papuda comemoraram a aposentadoria de Joaquim Barbosa. Certamente não é esse o comportamento dos brasileiros decentes que lamentam a anunciada ausência do ministro”.
    Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e pré-candidato do PSB à Presidência
    “Se ele sai [do Supremo] dizendo que está livre para participar [da política], é claro que qualquer partido, qualquer força política que tenha desejo de construir um país com ética, com valorização do serviço público e com a renovação do Judiciário, gostaria de ter a palavra e o testemunho do ministro Joaquim. [...] Ele é que vai dar o tom do que irá fazer depois de deixar de ser ministro do Supremo. Acho que precisamos esperar e deixar o Joaquim Barbosa à vontade, para que no ato da saída da Suprema Corte ele possa falar quais as intenções dele para o ano”.
    Henrique Alves (PMDB-RN)
    “Ele [Barbosa] veio à Câmara de forma gentil e respeitosa nos comunicar que vai se aposentar como ministro do Supremo Tribunal Federal. Ele disse que logo agora, antes do recesso, irá (se aposentar) e comunicará ao país e ao Supremo sua aposentadoria”.
    Luis Roberto Barroso, ministro do STF
    “Mesmo não concordando com todas as posições dele – eu concordo com muitas –, tenho admiração por ele e o quero bem”.
    Luiz Fernando Pacheco, advogado do ex-presidente do PT José Genoino
    “O Supremo Tribunal Federal e a Justiça brasileira ganham com o fim da judicatura de um mau juiz, autoritário, parcial e populista”.
    Marco Aurélio Mello, ministro do STF
    “Não sabíamos de nada. Pelo menos eu não tinha conhecimento de que ele deixaria o tribunal. Pega de surpresa o Supremo, pelo menos um dos integrantes, que sou eu. [...] Eu não concebo que alguém vire as costas para uma cadeira no Supremo espontaneamente”.
    Mendonça Filho (PE), líder do DEM na Câmara
    “Ele fez história no judiciário e na vida pública brasileira. Como qualquer ser humano, tinha suas características pessoais, defeitos e virtudes, mas foi um homem íntegro e de grande espírito público”.
    Pedro Simon (PMDB-RS), senador
    “Pelo que ele é e pelo que representa, não sei nem onde, nem como, mas, em algum lugar, em algum exercício de alguma atividade, ele vai andar, ele vai brilhar, e tenho certeza de que nós ouviremos falar muito e com muito respeito do presidente do Supremo”.
    Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado
    É um motivo surpreendente e triste [que trouxe Barbosa ao Senado]. O ministro veio se despedir. Ele estará deixando o Supremo Tribunal Federal. Ele falou que vai se aposentar agora, no próximo mês. Nós sentimos muito porque ele é uma das melhores referências do Brasil”.

    Fonte: G1
  • Ronaldinho aluga sua casa na copa por 34 mil a diária...
  • Exército deixa tropa preparada para substituir voluntário..
  • "O Brasil não era essa maravilha" diz Ronaldo envergonhado...
  • Roubos aumentam 34% na cidade de São Paulo
  • Protesto contra a Copa reúne milhares em São Paulo...
  • Fifa registra 1.116 marcas no Brasil
  • Deputado evangélico apresenta projeto de lei para ...
  • Bispo Edir Macedo pagará R$ 5 milhões por mês para...
  • Grupo Satânico afirma poder transformar pastor em gay ...
  • Mutirão de oração por crianças em situação de vuln...
  • Monique Evans é criticada por tatuar o rosto de Cristo...
  • Seita cria Igreja para adorar Beyoncé
  • Pastor se veste de drag queen durante culto
  • Mãe grava cenas de sexo com filho de 16 anos
  • Companheiras de padres pedem que Papa reveja lei do celibato...

Ex-ator pornô se torna evangélico e lança livro

Ex-ator pornô se torna evangélico e lança livro contando sua conversãoEx-ator pornô se converte e fala da mudança de vida em livro 
O pastor Giuliano Ferreira, 35 anos, está lançando um livro para contar a sua conversão. Ferreira era ator de filmes adultos e usava o nome de Júlio Vidal. Ao longo de sua carreira ele participou de 300 filmes, sendo que o último, lançado há dez anos, foi protagonizado ao lado de Rita Cadillac.
Depois de gravar o filme ele sentiu uma forte dor de dente e depois de ser medicado pelo dentista acabou tendo uma séria inflamação que se espalhou para os rins e pulmões.
Ferreira ficou cinco dias em coma e foi dentro do hospital que ele teve um encontro sobrenatural com Deus, mudando sua vida por completo.
“Ouvi uma voz falar para mim: ‘Chegou o momento de você fazer a minha vontade’. Assim que me recuperei e deixei o hospital, abandonei a carreira de ator pornô”, disse Giuliano ao site EGO.
No livro “Luz, câmera, ação e transformação” ele revela como era a vida de ator pornô dizendo que recebeu propostas “para subir na vida”. “Muitos apresentadores famosos me ofereceram subir na vida de forma fácil, mas nunca aceitei”, revela ele que também comentou sobre um relacionamento que teve com uma atriz famosa.
Antes de se tornar ator, Giuliano Ferreira trabalhou como gogo boy, emprego que aceitou depois de ser demitido de um jornal onde atuava como auxiliar de redação.
Depois desse trabalho surgiu as propostas para contracenar em filmes pornográficos. “Precisava de dinheiro para sustentar meu filho, que era criado por mim e pela minha mãe. Passei três anos me dividindo entre a Europa e o Brasil, atuando em filmes pornôs”.
Em pouco tempo ele ficou conhecido no ramo e chegava a ganhar R$ 12 mil de salário. “Conseguimos comprar dois terrenos e construir duas casas”.
Mas com a conversão sua vida financeira mudou, abandonando a profissão de ator ele passou a trabalhar como representante de livros evangélicos.
fonte:http://noticias.gospelprime.com.br/ex-ator-porno-conversao-livro/

Silas Malafaia fala sobre seus bens pessoais e causa mau estar aos ouvintes


Silas Malafaia fala de bens pessoais e causa constrangimentoSilas Malafaia fala de bens pessoais e causa  

No vídeo Malafaia aparece instruindo os fiéis sobre o caminho “até chegar ao lugar da vitória”. Em um determinado momento da mensagem o pastor afirma que usufrui do melhor que sua posição financeira lhe permite.
“Hoje eu levo minha família toda (a hotéis quatro estrelas) e não tô nem aí. Não tô roubando. Não tô nem aí pra você, ô mané, que tá me assistindo (…)”, comenta o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.  “Eu não vou deixar de usufruir do lugar vitória porque eu sei o preço que eu paguei e que eu tenho pago”, continuou.
Em outro momento da palavra Malafaia fala sobre seus bens pessoais e chega a citar o anel de 4 mil dólares que usa e seu Mercedes-Benz blindada de R$ 450 mil que ele afirma ter ganhado de um parceiro de seu ministério.
“Você quer saber o valor do meu anel? Quatro mil dólares. Com meu dinheiro”, disse Malafaia. “Tá vendo o Mercedes e500, blindado na Alemanha? Foi um parceiro meu que me deu de presente de aniversário”, continuou.
Malafaia também lembrou que seu ministério paga as despesas daqueles que participam da ESLAVEC. “Aqui tem três mil pessoas que o hotel e a pensão completa são bancadas pelo meu ministério. Quer falar, fale”, disse Silas.
Ano passado Malafaia já havia tido seu nome envolvido em escândalos por causa de sua posição financeira. O pastor decidiu processar a revista americana Forbes, que lhe atribuiu uma fortuna de R$ 150 milhões.
O religioso afirma ter um patrimônio de R$ 6 milhões e contratou a banca carioca de Jorge Bassit Neto e a orientou a acionar a revista Forbes nos Estados Unidos. “Vou tomar dinheiro deles sem pena”, disse o pastor.
fonte:http://noticias.gospelprime.com.br/video-silas-malafaia-bens-constrangimento/

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Mãe faz aborto orientada por médicos, mas bebê sobrevive


Após uma primeira gravidez difícil mãe foi aconselhada por médicos a fazer um aborto, mas bebê sobreviveu
A pequena Amelia é uma criança muito querida e amada agora, mas nem sempre foi assim. Filha do jovem casal Shannon Skinner, 20, e Anthony Hunt, 24, do Reino Unido, ela foi um susto para seus pais. Shannon engravidou acidentalmente após a contracepção falhar quatro meses depois do nascimento traumático de sua primeira filha, Lacie, que rompeu órgãos internos e a fez passar por uma cirurgia de reparação.
Aconselhada pelos médicos e com medo de deixar a primeira filha sem mãe, a jovem passou por um aborto, mas o bebê sobreviveu e nasceu de cesariana no dia 1 de maio. Agora, os médicos precisam esperar para dizer se a criança sofrerá algum trauma por causa da tentativa de aborto. “Nós a chamamos de nosso bebê milagre”, diz a mãe emocionada. ”Eu sempre vou me arrepender do aborto, mas nunca vou me arrepender de ter tido Amelia”, conta.
“Depois que Lacie nasceu, pedi para ser esterilizada, porque seu nascimento tinha sido muito traumático. Eu estava convencida de que eu não queria mais filhos, mas me disseram que eu era muito jovem para tomar essa decisão”, contou Shannon ao Daily Mail.
“Quando eu descobri que estava grávida de Amelia, meu primeiro instinto foi o de mantê-la, mas eu continuei pensando em Lacie e quão injusto seria para ela se alguma coisa acontecesse comigo, e ela fosse deixada sozinha”. Alertada pelos médicos de que outra gravidez poderia representar um sério risco para sua saúde, ela sentiu que não tinha escolha além de um aborto.
Shannon estava sofrendo de depressão pós-parto após o nascimento da primeira filha, quando descobriu que estava grávida novamente. Ela contou ao Daily Mail que chorou muito ao esperar na clínica para tomar os remédios que induziriam ao aborto, mas sentiu que não tinha outra escolha: “O pensamento de deixar Lacie sem mãe me fez ir até o fim”, disse ela, ao referir-se à primogênita. Ela estava grávida de oito semanas da pequena Amelia e sangrou por dois dias depois do procedimento.
Três meses depois, Shannon sentiu movimentos em sua barriga, fez dois testes de gravidez antes de ir ao médico com uma certeza: ainda esperava o bebê. O terceiro teste deu negativo, e o médico disse se tratar de um efeito colateral. Em dezembro, ela fez o quarto teste, que deu positivo; mesmo com um implante contraceptivo, ela estava convencida de que esperava o terceiro filho, mas o ultrassom mostrou ser o mesmo bebê.
Após ter visto sua filha no ultrassom, Shannon foi aconselhada a fazer um novo aborto, desta vez cirúrgico, mas se negou. “Para sobreviver ao primeiro aborto, minha filha obviamente queria estar aqui, e eu não poderia passar por um aborto cirúrgico. Não importava para mim se ela fosse nascer saudável ou não”.
Os médicos haviam dito que a bebê poderia ter ficado deformada, o que não aconteceu, mas outros efeitos só poderão ser vistos com o passar do tempo. “O que ela precisa saber é que ela é amada e desejada. Se tivéssemos a chance de novo, faríamos tudo diferente, mas nós pensamos que estávamos fazendo a coisa certa no momento. Se há problemas [com a bebê] que ainda não sabemos, não vai mudar o nosso amor por ela. Eu não posso suportar a ideia de que ela não existisse. Por um longo tempo, me senti culpada, mas agora me sinto aliviada”, disse Shannon.

Fonte: Daily Mail/UOL

‘Deus fez meu filho com autismo porque já fiz aborto’, diz cantora


Imagem: Divulgação









Em seu livro de memórias, “Unbreak My Heart”, a cantora Toni Braxton deu uma declaração bem polêmica. Segundo ela,  Deus teria feito seu filho ter autismo, pois teria feito um aborto.
Na obra autobiográfica, Toni Braxton diz que o aborto, feito em 2001, deixou um forte sentimento de culpa, de acordo com reportagem do “NY Daily News”.
“No meu coração, eu acredito que tenha tirado uma vida – uma ação pela qual eu achava que Deus um dia me puniria. Acredito que Deus tenha me dado o troco, fazendo o meu filho com autismo”, escreveu.

Fonte: O Globo