sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Espuma e mancha avermelhada preocupam autoridades em Angra dos Reis.

Imagens aéreas foram feitas em sobrevoo de helicóptero (Foto: Marco Antônio Alves/Eletronuclear)Imagens aéreas foram feitas em sobrevoo de helicóptero (Foto: Marco Antônio Alves/Eletronuclear)
A Eletrobrás divulgou nesta sexta-feira (6) imagens aéreas que mostram o tamanho de uma mancha avermelhada no mar da Costa Verde do Rio de Janeiro. A empresa informou que realizou um sobrevoo de helicóptero de Angra dos Reis a Ubatuba, SP, na última quarta-feira (4) para tentar identificar a origem do surgimento de um volume anormal de espuma no litoral, próximo às usinas nucleares.
Mancha avermelhada chama a atenção na Costa Verde do Rio (Foto: Marco Antônio Alves/Eletronuclear)Mancha chama a atenção na Costa Verde do Rio
(Foto: Marco Antônio Alves/Eletronuclear)
Em nota enviada pela assessoria de comunicação da empresa, o fenômeno são agrupamentos de microalgas marinhas ainda vivas. A mancha é levada pelo movimento das marés e ventos para o interior da Baía da Ilha Grande. Ainda segundo o comunicado, as microalgas morrem por ausência de nutrientes durante o deslocamento e liberam proteínas e gorduras que formam um “caldo orgânico”, que se transforma em espuma.
A Eletronuclear comunicou o fenômeno ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e afirmou que a origem da formação de espumas não tem relação com a operação das usinas nucleares, "em funcionamento há mais de 30 anos sem qualquer incidência", como informa a nota.
Espuma pode ser vista em diversos pontos de Paraty e Angra dos Reis (Foto: Reprodução /TV Rio Sul)Espuma pode ser vista em diversos pontos de
Angra dos Reis (Foto: Reprodução /TV Rio Sul)
O fenômeno surgiu há cerca de seis mesesna área de proteção integral da Estação Ecológica (Esec) de Tamoios, onde ocorre a reprodução de várias espécies da fauna marinha. A formação de espuma quando o mar está com ressaca é um processo natural, mas dessa vez a consistência e a cor são diferentes. O que também chama a atenção é o movimento de fervura que faz com que o entorno da área sofra trepidações.
Inea divulga laudo preliminar de espuma
O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) divulgou um laudo preliminar na quinta-feira (5) que revelou que a espuma concentrada entre Angra dos Reis e Paraty é matéria orgânica em decomposição. O fenômeno pode estar associado à floração de algas ao longo da baía da Ilha Grande, mas ainda existe a suspeita do uso de produtos anticorrosivos pelas usinas nucleares, que agravariam o quadro na formação da espuma.
Espuma permanece há seis meses no litoral da Costa Verde (Foto: Reprodução/TV Rio Sul)Espuma permanece há seis meses no litoral da
Costa Verde (Foto: Reprodução/TV Rio Sul)
"É apenas uma suspeita e está em processo de investigação. Não podemos fazer isso de forma categórica, mas existe uma suspeita", disse Júlio Avelar, superintendente do Inea. De acordo com a Eletronuclear, as análises feitas pelo instituto não apontam a presença de produtos utilizados pela empresa.
A Policia Federal instaurou um inquérito para apurar se existe crime ambiental. "Justamente para angariar maiores dados e aclarar a situação, [para] saber qual é a causa disso e se a causa traz algum componente de cunho criminal", explicou Gladys Regina Vieira Miranda, chefe da Polícia Federal em Angra. A previsão é que o resultado final da análise saia no dia 17 de dezembro deste ano de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário