quinta-feira, 2 de junho de 2011

***O PORCO E A VACA ***







Algum tempo atrás eu li uma estória sobre a conversa de uma vaca e um porco.


O porco reclamava de sua impopularidade:


"Certo, você dá leite e nata, mas eu dou até mais. Eu dou toucinho e presunto e cerdas; pessoas até conservam os meus pés no sal! Mas eles estão sempre falando de sua gentileza e olhos amáveis. Por que isso acontece?"


A vaca pensou por um minuto e disse,


"Talvez seja porque eu dou enquanto eu estou ainda viva."


Aquelas palavras me fizeram refletir profundamente.


Eu estava pensando apenas em fazer um inventário de todos os meus bens e determinar, em um testamento, para onde tudo deveria ir após a minha morte.


Mas então eu comecei a olhar à minha volta.


Nossa igreja precisava de um novo órgão e um terreno para fazer um estacionamento.


Descobri que muitas crianças em meu bairro estavam prestes a fazer aniversário.


Um jornal me alertou da necessidade de um abrigo para animais na localidade e de crianças precisando de bolsas de estudo.


Devo ser como a vaca, pensei.


Isso foi há dez anos atrás.


Sim, claro, eu tenho um testamento e mantenho alguns recursos para distribuir.


Mas, enquanto isso, estou me regozijando em ser como a vaca e não como o porco.


Olga Stojicevic, Carolina do Sul - EUA.

Quais têm sido as nossas atitudes em relação às necessidades daqueles que estão diante de nós?


Agimos com egoísmo, pensando exclusivamente nos nossos interesses, concluindo que o que é nosso deverá ser sempre assim até a nossa morte?


Ou será que, como verdadeiros cristãos, temos nos preocupado em repartir, com os mais necessitados, aquilo que Deus tem nos dado com abundância?



Nenhum comentário:

Postar um comentário